Vinte Um

Ala francês apelou até a treinamento Shaolin para conseguir emprego na NBA

Giancarlo Giampietro

Mickael Pietrus x Kobe Bryant

Kung Fu fighting: Pietrus não conseguiu lutar muito, mas jura que cresceu com os shaolins

Enquanto Leandrinho treina com os ex-companheiros de Flamengo para tentar se manter em forma, enquanto não assina com nenhuma equipe da NBA, o ala Mickael Pietrus, que está no mesmo barco, citou um exemplo nada tradicional que adotou em 2011 para tentar ser um jogador melhor. Dá para falar que ele, na questão de expandir seus horizontes, ele foi bem longe mesmo.

Diz o francês, ex-Boston Celtics, que, antes da temporada passada, passou um mês de reclusão ao lado de monges Shaolin. “Fui para treinar kung-fu e judô, mas meu joelho estava muito dolorido'', afirmou.

Bom, então não deu muito certo a coisa da pancadaria. Embora milionário, ele não ia perder a viagem de todo modo, né? Resolveu, então, testar outras searas – é sempre uma viagem transendental, galera. “Usei então um pouco da medicina chinesa e gostei. Foi uma experiência inesquecível. Quando você vê 150 monges se levantarem às 4h da manhã para correr por duas horas sem comer nada, você se torna mentalmente mais forte.''

Só faltou Pietrus falar se ele acompanhava os monges na corrida, né?

Duvido.

Os joelhos estavam muito doloridos.

*  *  *

Brincadeira à parte, Pietrus sofreu com seus joelhos durante toda a temporada 2011-2012, massacrante devido ao locaute. No entanto, ainda fez um ótimo papel pelo Celtics, tendo alguns belos momentos como defensor nos playoffs. Não obstante, é um dos nomes de destaque na lista dos desempregados da NBA a menos de um mês do início dos training camps. A diferença, no caso, para Leandrinho, é que seu nome vem sendo constantemente envolvido em rumores de negociações. Segundo consta, ele deve fechar a qualquer momento com um time da Conferência Leste. O Minnesota Timberwolves estaria interessado.

*  *  *

Pietrus fez muito sucesso em Boston com um público em especial: os diversos setoristas que acompanham a franquia mais vitoriosa da NBA. Suas respostas costumam ser um tanto mais profundas – ou malucas – do que a média. E isso vem muito da personalidade do francês. Não me lembro agora exatamente de um caso em específico, mas o ala já deixou muitos companheiros de equipe irritados com um misto de franqueza e arrogância no palavreado.

No mundo da liga norte-americana, de muitos e diferentes egos, tem muito disso: Pietrus pode estar longe do protagonismo, mas isso não vai impedi-lo de ser um jogador extremamente confiante, claro. Ainda mais ele que já foi um dia cotado como o “Euro Jordan'', por mais que hoje isso possa parecer absurdo.

*  *  *

Já que é domingo, vamos com essa fantástica obra pop sem compromisso: